../_images/codigos_opcoes.png

DPLT

Função

Leitura de dados das variáveis a serem armazenadas no arquivo de plotagem. Para todas as variáveis de plotagem, o campo Tipo é obrigatório enquanto que o campo modo (M) é opcional:

Utilização

Tipo

Identificador da variável a ser plotada

M

Indica se a plotagem será do valor absoluto da variável (campo em branco) ou do desvio em relação ao seu valor em \(t=0\) (preencher com “*”)

Os campos a serem preenchidos para cada tipo de variável de plotagem estão relacionados com o equipamento associado.

Plotagem de Barras CA

A régua para a plotagem de variáveis relativas à barra CA requer o preenchimento do seguinte campo:

El

Número de identificação da barra CA

O seguintes identificadores devem ser utilizados para selecionar variáveis relativas à barra CA:

VOLT

Módulo da tensão da barra, em pu.

ANGL

Ângulo da tensão da barra, em graus.

ACMS

Ângulo do centro de massa da ilha elétrica à qual a barra pertence, em graus.

FCMS

Frequência angular média da ilha elétrica à qual a barra pertence, em Hz.

FREQ

Frequência da barra, em Hz.

PGER

Potência ativa total gerada na barra CA, em MW.

QGER

Potência reativa total gerada na barra CA, em Mvar.

Plotagem de Circuitos CA Individuais

A régua para a plotagem de variáveis relativas à barra CA requer o preenchimento dos seguintes campos (código DPLT):

El

Número de identificação da extremidade DE do circuito

Pa

Número de identificação da extremidade PARA do circuito

Nc

Número de identificação do circuito paralelo (default = 1)

Ex

Número de identificação da extremidade do circuito em que a variável associada será plotada (default = El)

O seguintes identificadores devem ser utilizados para selecionar variáveis relativas à Barra CA:

FLXM

Módulo do fluxo de potência do circuito CA, em MVA.

FLXA

Fluxo de potência ativa do circuito CA, em MW.

FLXR

Fluxo de potência reativa do circuito CA, em Mvar.

ILIN

Módulo da corrente do circuito CA, em pu.

VTLIN

Módulo em pu da tensão na extremidade especificada da linha CA

ATLIN

Ângulo em graus da tensão na extremidade especificada da linha CA

REAT

Reatância aparente medida de uma extremidade do circuito CA, em pu.

RESI

Resistência aparente medida de uma extremidade do circuito CA, em pu.

ZMOD

Módulo da impedância aparente medida de uma extremidade do circuito CA, em pu.

ZANG

Ângulo da impedância aparente medida de uma extremidade do circuito CA, em graus.

TAP

Valor do tap do transformador no lado primário (barra DE do circuito definida no Anarede), em pu.

RTRF

Resistência do transformador, em %.

XTRF

Reatância do transformador, em %.

PHSTRF

Ângulo de defasamento de transformadores defasadores, em graus.

Dica

Utilize as variáveis VTLIN e ATLIN quando desejar medir módulo e ângulo da tensão em uma linha cuja extremidade se encontra aberta. Com a extremidade fechada, este sinal é idêntico ao sinal VOLT e ANGL da barra conectada a extremidade em questão.

Plotagem de Fluxos Agregados de Intercâmbio

A régua para a plotagem de variáveis relativas aos fluxos agregadas requer o preenchimento dos seguintes campos (código DPLT):

El

Número de identificação da área do fluxo agregado

O seguintes identificadores devem ser utilizados para selecionar variáveis relativas aos fluxos agregados:

FLXAA

Fluxo ativo líquido de intercâmbio relativo à área

FLXRA

Fluxo reativo líquido de intercâmbio relativo à área

Plotagem de Carga Estática

A régua para a plotagem de variáveis relativas à carga estática requer o preenchimento dos seguintes campos (código DPLT):

El

Número de identificação da barra CA

O seguintes identificadores devem ser utilizados para selecionar variáveis relativas à barra CA:

PCAR

Potência ativa da carga total na barra CA, em MW.

QCAR

Potência reativa da carga total na barra CA, em Mvar.

SCAR

Potência aparente da carga total na barra CA, em MVA.

COSFI

Fator de potência da carga total na barra CA.

Plotagem de Carga Dinâmica

A régua para a plotagem de variáveis relativas à carga dinâmica requer o preenchimento dos seguintes campos (código DPLT):

El

Número de identificação da barra CA

Gr

Número de identificação do grupo do equipamento associado à barra CA

O seguintes identificadores devem ser utilizados para selecionar variáveis relativas à barra CA:

PLDIN

Potência ativa do grupo de carga dinâmica na barra CA, em MW.

QLDIN

Potência reativa do grupo de carga dinâmica na barra CA, em Mvar.

Plotagem de Shunt Equivalente

A régua para a plotagem de variáveis relativas a shunts equivalentes requer o preenchimento dos seguintes campos (código DPLT):

El

Número de identificação da barra CA

O seguintes identificadores devem ser utilizados para selecionar variáveis relativas a shunts equivalentes:

QSHT

Potência elétrica reativa correspondente ao “shunt” da barra, em Mvar.

Plotagem de Shunt Individualizado

Existem duas réguas possíveis para o preenchimento da plotagem de Banco Shunt Individualizado, a depender se o equipamento é um shunt de barra ou de linha:

A régua para a plotagem de variáveis relativas a shunts individualizados de barra requer o preenchimento dos seguintes campos (código DPLT):

El

Número de identificação da barra CA

Gr

Número de identificação do grupo do equipamento associado à barra CA

A régua para a plotagem de variáveis relativas a shunts individualizados de linha requer o preenchimento dos seguintes campos (código DPLT):

El

Número de identificação da extremidade DE do circuito

Pa

Número de identificação da extremidade PARA do circuito

Nc

Número de identificação do circuito paralelo (default = 1)

Ex

Número de identificação da extremidade do circuito em que a variável associada será plotada (default = El)

O seguintes identificadores devem ser utilizados para selecionar variáveis relativas a shunts individualizados:

QBSH

Valor do shunt do grupo de banco shunt individualizado de barra ou de linha, em Mvar.

NUBSH

Número de unidades em operação no grupo de banco shunt individualizado de barra ou de linha.

Plotagem de Máquinas de Indução Convencional

A régua para a plotagem de variáveis relativas às máquinas de indução requer o preenchimento dos seguintes campos (código DPLT):

El

Número de identificação da barra CA associada à máquina de indução.

Gp

Número de identificação do grupo do equipamento associado à variável de plotagem.

Br

Número de identificação da barra CA à qual está conectada a máquina de indução de referência de ângulo.

Gr

Número de identificação do grupo de máquina indução, cujo eixo q será tomado como referência para a plotagem de ângulos.

O seguintes identificadores devem ser utilizados para selecionar variáveis relativas à máquina de indução:

PMOT

Potência elétrica ativa terminal consumida pela máquina de indução, em pu. Este sinal é positivo quando a potência está entrando no estator.

QMOT

Potência elétrica reativa terminal consumida pela máquina de indução, em pu. Este sinal é positivo quando a potência está entrando no estator.

WRMOT

Velocidade angular do rotor da máquina de indução convencional, em pu.

SLIP

Escorregamento do rotor da máquina de indução convencional em relação à frequência nominal do sistema, em pu (\(slip = 1 - \omega_r\) pu). Ele é positivo para velocidade subsíncrona e negativo para velocidade super-síncrona.

SLIPS

Escorregamento do rotor da máquina de indução convencional em relação à frequência da barra terminal, em pu (\(slip = 1 - \omega_r\) pu). Ele é positivo para velocidade subsíncrona e negativo para velocidade super-síncrona.

TMOT

Torque mecânico da máquina de indução convencional, em pu. Ele é positivo para carga mecânica e negativo no caso de turbina acoplada ao eixo (por exemplo, no caso de geração eólica).

EMOT

Módulo da tensão interna atrás da reatância transitória \(X'\) da máquina de indução, em pu.

IMOT

Módulo da corrente drenada pela máquina de indução, em pu.

Plotagem de Máquinas Síncronas

A régua para a plotagem de variáveis relativas às máquinas síncronas requer o preenchimento dos seguintes campos (código DPLT):

El

Número de identificação da barra CA associada à máquina síncrona.

Gp

Número de identificação do grupo do equipamento associado à variável de plotagem

Br

Número de identificação da barra CA à qual está conectada a máquina de referência de ângulo

Gr

Número de identificação do grupo de máquina síncrona, cujo eixo q será tomado como referência para a plotagem de ângulos

O seguintes identificadores devem ser utilizados para selecionar variáveis relativas às máquinas síncronas:

DELT

Ângulo do eixo q do gerador, em graus, relativo à referência especificada. Se o campo Br estiver em branco, o ângulo da barra será calculado em relação ao centro de massa elétrico da ilha do sistema. Se o campo Br estiver preenchido, o ângulo é calculado em relação à barra de referência informada.

Atenção

Na ocorrência de um ilhamento de parte do sistema, o centro de massa elétrico pode variar instantaneamente, e assim o ângulo \(\delta\) poderá sofrer descontinuidade.

EFD

Tensão de campo do gerador, em pu.

FMAQ

Frequência do gerador, em Hz.

IFD

Corrente de campo do gerador, em pu.

IMQS

Módulo da corrente de armadura do gerador, em pu.

PELE

Potência elétrica ativa interna do gerador, em MW.

PTERM

Potência elétrica ativa terminal do gerador, em MW.

PMEC

Potência mecânica da turbina, em MW.

QELE

Potência elétrica reativa terminal do gerador, em Mvar.

VSAD

Sinal estabilizador aplicado no regulador de tensão do gerador, em pu.

VCAG

Sinal do CAG aplicado no regulador de velocidade do gerador, em pu.

VCCT

Sinal do Controle Coordenado de Tensão aplicado no regulador de tensão do gerador, em pu.

ELL

Módulo da tensão interna da máquina atrás da reatância subtransitória X”d, em pu.

VTR

Sinal de entrada do regulador de tensão do gerador, em pu.

PACE

Potência acelerante (Pmec - Pele), em MW.

DEFD

Valor do sinal Efd - Eq do gerador, em pu.

ELD

Tensão proporcional ao enlace de fluxo transitório de eixo d, em pu.

ELLD

Tensão proporcional ao enlace de fluxo subtransitório de eixo d, em pu.

ELQ

Tensão proporcional ao enlace de fluxo transitório de eixo q, em pu.

ELLQ

Tensão proporcional ao enlace de fluxo subtransitório de eixo q, em pu.

VD

Componente de eixo d da tensão terminal da máquina, em pu.

VQ

Componente de eixo q da tensão terminal da máquina, em pu.

ID

Componente de eixo d da corrente de armadura da máquina, em pu.

IQ

Componente de eixo q da corrente de armadura da máquina, em pu.

NUGER

Número de unidades ligadas do grupo gerador.

Plotagem de Geradores Eólicos DFIG

A régua para a plotagem de variáveis relativas aos geradores eólicos tipo máquina de indução com dupla alimentação requer o preenchimento dos seguintes campos (código DPLT):

El

Número de identificação da barra CA à qual está conectado o gerador eólico tipo DFIG

Gp

Número de identificação do grupo do equipamento associado à variável de plotagem

Br

Número de identificação da barra CA à qual está conectado o gerador eólico tipo DFIG de referência de ângulo

Gr

Número de identificação do grupo de gerador eólico tipo DFIG, cujo eixo q será tomado como referência para a plotagem de ângulos Nesta opção, caso não sejam preenchidos, será utilizado o centro de massa do sistema como referência de ângulos

Nota

Caso o campo Barra de Referência seja preenchido com \(0\) e o campo Grupo de Máquina de Referência seja deixado em branco, será usado como referência uma referência síncrona que em \(t=0\) esteja com ângulo \(0\).

O seguinte identificador deve ser utilizado para selecionar a variável relativa aos geradores eólicos tipo máquina de indução com dupla alimentação:

PDFM

Potência ativa total entrando no equipamento, em MW.

QDFM

Potência reativa total entrando no equipamento, em Mvar.

PSDFM

Potência ativa entrando no estator na máquina de indução, em MW.

QSDFM

Potência reativa entrando no estator na máquina de indução, em Mvar.

PCDFM

Potência ativa entrando no conversor VSI ligado ao estator da máquina de indução, em MW.

QCDFM

Potência reativa entrando no conversor VSI ligado ao estator da máquina de indução, em Mvar.

PRDFM

Potência ativa entrando no rotor na máquina de indução, em MW.

QRDFM

Potência reativa entrando no rotor na máquina de indução, Mvar.

PMDFM

Potência mecânica da carga no eixo da máquina de indução, em MW.

WRDFM

Velocidade angular do rotor da máquina de indução, em pu.

WRFDFM

Valor em pu da referência para controle de velocidade da máquina de indução, em pu.

SLDFM

Escorregamento da máquina de indução em relação à frequência nominal, em pu.

SLSDFM

Escorregamento da máquina de indução em relação à frequência da barra terminal, em pu.

TMDFM

Torque mecânico da máquina de indução, em pu.

ELDFM

Módulo da tensão transitória (\(E'\)) da máquina de indução, em pu.

ISDFM

Módulo da corrente no estator da máquina de indução, em pu.

IRDFM

Módulo da corrente no rotor da máquina de indução, em pu.

ICDFM

Módulo da corrente CA no conversor ligado ao estator da máquina de indução, em pu.

IRRDFM

Componente real da corrente CA entrando no rotor da máquina de indução, em pu.

IRIDFM

Componente imaginário da corrente CA entrando no rotor da máquina de indução, em pu.

VRRDFM

Componente real da tensão CA do conversor VSI ligado ao rotor da máquina de indução, em pu.

VRIDFM

Componente imaginária da tensão CA do conversor VSI ligado ao rotor da má-quina de indução, em pu.

VCRDFM

Componente real da tensão CA do conversor VSI ligado ao estator da máquina de indução, em pu .

VCIDFM

Componente imaginária da tensão CA do conversor VSI ligado ao estator da máquina de indução, em pu.

VDFM

Módulo da tensão terminal da máquina de indução (pode incluir compensação com XVD - similar a VTR na máquina síncrona), em pu.

IDFM

Módulo da corrente CA total entrando no equipamento pelo lado do estator (corrente no estator + corrente no conversor ligado ao estator ), em pu.

Nota

Os sinais PDFM, QDFM, PSDFM, QSDFM, PCDFM, QCDFM, PRDFM, QRDFM, PMDFM, TMDFM, IRRDFM, IRIDFM, SLDFM, SLSDFM adotam convenção de carga/motor, isto é:

  • PDFM e QDFM positivos para potência entrando no equipamento;

  • PSDFM, QSDFM, PRDFM e QRDFM positivos para potência entrando no respectivo enrolamento;

  • PCDFM e QCDFM positivos para potência entrando no conversor ligado ao estator;

  • IRRDFM e IRIDFM positivos para corrente entrando no enrolamento do rotor;

  • PMDFM e TMDFM positivos para carga mecânica e

  • SLDFM e SLSDFM positivos para \(\omega_r < \omega_s\) .

Plotagem de Geradores Síncronos Eólicos

A régua para a plotagem de variáveis relativas aos geradores eólicos tipo máquina síncrona requer o preenchimento dos seguintes campos (código DPLT):

El

Número de identificação da barra CA à qual está conectado o gerador eólico tipo máquina síncrona

Gp

Número de identificação do grupo do equipamento associado à variável de plotagem

Br

Número de identificação da barra CA à qual está conectado o gerador eólico tipo máquina síncrona de referência de ângulo

Gr

Número de identificação do grupo de gerador eólico tipo máquina síncrona, cujo eixo q será tomado como referência para a plotagem de ângulos. Nesta opção, caso não sejam preenchidos, será utilizado o centro de massa do sistema como referência de ângulos

Nota

Caso o campo Barra de Referência seja preenchido com \(0\) e o campo Grupo de Máquina de Referência seja deixado em branco, será usado como referência uma referência síncrona que em \(t=0\) esteja com ângulo \(0\).

O seguinte identificador deve ser utilizado para selecionar a variável relativa aos geradores eólicos tipo máquina síncrona:

PMGSE

Potência mecânica do gerador, em MW.

TMGSE

Torque mecânico do gerador, em pu.

VTRGSE

Tensão terminal do gerador, em pu.

FGSE

Frequência do gerador, em Hz.

EFDGSE

Tensão do campo do gerador, em pu.

DLTGSE

Ângulo do eixo “q” do gerador, em graus.

PEGSE

Potência elétrica ativa interna da máquina síncrona equivalente, em MW.

PE1GSE

Potência elétrica ativa terminal da máquina síncrona equivalente, em MW.

QE1GSE

Potência elétrica reativa terminal da máquina síncrona equivalente, em Mvar.

PE2GSE

Potência elétrica ativa total injetada no sistema CA, em MW.

QE2GSE

Potência elétrica reativa total injetada no sistema CA, em Mvar.

FM1GSE

Fator de modulação do “chopper” (adimensional).

FM2GSE

Fator de modulação do inversor VSI (adimensional).

PH2GSE

Ângulo de fase da tensão CA do inversor VSI, em graus.

IGSE

Módulo da corrente total injetada no sistema CA, em pu na base do sistema.

VC1GSE

Tensão CC no lado do retificador, em pu.

VC2GSE

Tensão CC no lado do inversor, em pu.

IC1GSE

Corrente CC no lado do retificador, em pu.

IC2GSE

Corrente CC no lado do inversor, em pu.

VD0GSE

Tensão \(V_d\) a vazio do retificador, em pu.

IM1GSE

Módulo da corrente drenada pelo retificador, em pu na base da máquina.

ELLGSE

Módulo da tensão interna da máquina, em pu.

ELRGSE

Componente real da tensão interna da máquina, em pu.

ELIGSE

Componente imaginária da tensão interna da máquina, em pu.

LLLGSE

Módulo do enlace de fluxo subtransitório da máquina, em pu.

LLDGSE

Componente “d” do enlace de fluxo subtransitório da máquina, em pu.

LLQGSE

Componente “q” do enlace de fluxo subtransitório da máquina, em pu.

GGSE

Valor da condutância variável de dissipação em paralelo com o capacitor CC, em pu.

WRFGSE

Valor em pu da referência para controle de velocidade do gerador.

Plotagem de Fonte Shunt Controlada

A régua para a plotagem de variáveis relativas a fonte shunt controlada requer o preenchimento dos seguintes campos (código DPLT):

El

Número de identificação da barra CA associada a fonte shunt controlada no código DFNT

Gp

Número de identificação do grupo do equipamento associado à variável de plotagem

Atenção

Os sinais IIRFNT, IIIFNT, ITRFNT, ITIFNT, PFNT, QFNT adotam convenção de gerador, isto é:

  • IIRFNT, IIIFNT, ITRFNT e ITIFNT positivos para corrente entrando no sistema CA;

  • PFNT e QFNT positivos para potência entrando no sistema CA.

Os identificadores a serem utilizados para selecionar variáveis relativas a fontes shunt controladas são descritos a seguir:

VIRFNT

Componente real da fonte de tensão interna do modelo de grupo de geração representado por fonte de tensão shunt controlada (\(V_{Ir}\)), em pu na base do sistema CA.

VIIFNT

Componente imaginária da fonte de tensão interna do modelo de grupo de geração representado por fonte de tensão shunt controlada (\(V_{Ii}\)), em pu na base do sistema CA.

VIMFNT

Módulo da fonte de tensão interna do modelo de grupo de geração representado por fonte de tensão shunt controlada, em pu na base do sistema CA.

IIRFNT

Componente real da fonte de corrente interna do modelo de grupo de geração representado por fonte de corrente shunt controlada ( \(I_{Ir}\)) , correspondente a uma unidade do grupo, em pu na sua base.

IIIFNT

Componente imaginária da fonte de corrente interna do modelo de grupo de geração representado por fonte de corrente shunt controlada ( \(I_{Ii}\)), correspondente a uma unidade do grupo, em pu na sua base.

IIMFNT

Módulo da fonte de corrente interna do modelo de grupo de geração representado por fonte de corrente shunt controlada, correspondente a uma unidade do grupo, em pu na sua base.

ITRFNT

Componente real da corrente terminal injetada no sistema CA pelo modelo de grupo de geração representado por fonte shunt controlada (de tensão ou de corrente) ( \(I_{Tr}\)), correspondente a uma unidade do grupo, em pu na sua base.

ITIFNT

Componente imaginária da corrente terminal injetada no sistema CA pelo modelo de grupo de geração representado por fonte shunt controlada (de tensão ou de corrente) ( \(I_{Ti}\)), correspondente a uma unidade do grupo, em pu na sua base.

ITMFNT

Módulo da corrente terminal injetada no sistema CA pelo modelo de grupo de geração representado por fonte shunt controlada (de tensão ou de corrente), correspondente a uma unidade do grupo, em pu na sua base.

PTFNT

Potência ativa total injetada no sistema CA pelo modelo de grupo de geração representado por fonte shunt controlada (de tensão ou de corrente), em MW.

QTFNT

Potência reativa total injetada no sistema CA pelo modelo de grupo de geração representado por fonte shunt controlada (de tensão ou de corrente), em Mvar.

STFNT

Potência aparente injetada no sistema CA pelo modelo de grupo de geração representado por fonte shunt controlada (de tensão ou de corrente), em MVA.

Plotagem de Barras CC

A régua para a plotagem de variáveis relativas às barras CC requer o preenchimento dos seguintes campos (código DPLT):

El

Número de identificação do barra CC

O seguinte identificador deve ser utilizado para selecionar a variável relativa à barra CC:

VBDC

Tensão de barra CC, em pu.

Plotagem de Linhas CC

A régua para a plotagem de variáveis relativas aos circuitos CC requer o preenchimento dos seguintes campos (código DPLT):

El

Número de identificação da extremidade DE

Pa

Número de identificação da extremidade PARA do circuito associado à variável de plotagem

Nc

Número de identificação do circuito paralelo associado à variável de plotagem (default = 1)

Os seguintes identificadores devem ser utilizados para selecionar variáveis relativas aos circuitos CC:

ILDC

Corrente do circuito CC, em pu.

PLDC

Fluxo de potência do circuito CC, em MW.

VBML

Tensão no meio da linha CC, em pu.

Plotagem de Conversor CA-CC

A régua para a plotagem de variáveis relativas aos conversores CA-CC requer o preenchimento dos seguintes campos (código DPLT):

El

Número de identificação do conversor CA-CC

Os seguintes identificadores devem ser utilizados para selecionar variáveis relativas aos conversores CA-CC.

  • Variáveis disponíveis para os modelos 1 e 3:

ALFA

Ângulo de disparo do conversor, em graus.

GAMA

Ângulo de extinção para as válvulas do conversor (inversor), em graus. Para conversor do tipo CCC corresponde a \(\gamma'\) (margem de comutação.) Esta variável assume o valor zero durante o intervalo de falha de comutação do inversor.

GAMAC

ângulo de extinção para as válvulas do conversor (inversor), em graus, calculado pela expressão \([ \gamma = 180^\circ- \alpha - \mu ]\). Esta variável é idêntica à variável do ângulo de extinção GAMA, a menos do período de falha de comutação, onde o valor calculado pelo programa poderá assumir valores negativo.

COMU

Ângulo de comutação para as válvulas do conversor, em graus.

CCNV

Corrente no conversor, em pu.

VCNV

Tensão de saída do conversor, em pu.

PCNV

Potência ativa drenada da rede CA pelo conversor, em MW.

QCNV

Potência reativa drenada da rede CA pelo conversor, em Mvar.

ALFMIN

Ângulo mínimo de disparo do conversor, em graus. Válido apenas para os modelos prédefinidos 1 e 3.

ALFMAX

Ângulo máximo de disparo do conversor,em graus. Válido apenas para os modelos prédefinidos 1 e 3.

AMINRF

Área mínima de referência, em pu de tensão \(\times\) radianos. Válido apenas para os modelos prédefinidos 1 e 3.

I0

Ordem de corrente do conversor (após VDCOL), em pu. Válido apenas para os modelos prédefinidos 1 e 3.

I00

Ordem de corrente do conversor (antes do VDCOL), em pu. Válido apenas para os modelos prédefinidos 1 e 3.

IH

Ordem de corrente do conversor determinada pelo controle de potência,em pu. Válido apenas para os modelos prédefinidos 1 e 3.

ISTOL

Limite máximo de sobrecarga de corrente no conversor, em pu. Válido apenas para os modelos prédefinidos 1 e 3.

SM01

Primeiro sinal de modulação do controle do conversor, em pu. Válido apenas para os modelos prédefinidos 1 e 3.

SM02

Segundo sinal de modulação do controle do conversor, em pu. Válido apenas para os modelos prédefinidos 1 e 3.

SM03

Terceiro sinal de modulação do controle do conversor, em pu. Válido apenas para os modelos prédefinidos 1 e 3.

SM04

Quarto sinal de modulação do conversor. Se o conversor estiver em controle de área mínima este sinal será dado em pu. Se o conversor estiver em controle de \(\gamma\) mínimo este sinal será dado em radianos. Válido apenas para os modelos prédefinidos 1 e 3.

Nota

Ver parâmetro FLGAM no código DMCV para a definição do modo de controle.

UCI

Sinal de saída do canal integral do CCA, em graus. Válido apenas para os modelos prédefinidos 1 e 3.

UC

Sinal de saída total do CCA, em graus. Válido apenas para os modelos prédefinidos 1 e 3.

VDCOL

Tensão do VDCOL do conversor, em pu. Válido apenas para os modelos prédefinidos 1 e 3.

VDCOLN

Tensão para normalização do sinal do VDCOL do conversor, em pu. Válido apenas para os modelos prédefinidos 1 e 3.

SET

Sinal de referência para o controle de corrente ou de potência no conversor (conforme o tipo de controle), em pu. Válido apenas para os modelos prédefinidos 1 e 3.

VRP

Sinal de tensão para o controle de potência no conversor, em pu. Válido apenas para os modelos prédefinidos 1 e 3.

  • Variáveis disponíveis para o modelo 3:

ARAML1

Sinal de saída do RAML (\(\alpha_{aml1}\)) que atua na entrada do VCO do retificador. Válido apenas para o modelo prédefinido 3.

ARAML2

Sinal de saída do RAML (\(\alpha_{aml2}\)) que atua no limite mínimo do canal integral do CCA do retificador. Válido apenas para o modelo prédefinido 3.

ARIAC

Sinal de saída do RIAC (\(\alpha_{riac}\)) para atuação no limite mínimo do canal integral do CCA do retificador. Válido apenas para o modelo prédefinido 3.

ERIAC

Sinal de erro de corrente filtrado para RIAC. Válido apenas para o modelo prédefinido 3.

Plotagem de Elos CC

A régua para a plotagem de variáveis relativas aos elos CC requer o preenchimento dos seguintes campos (código DPLT):

El

Número de identificação do elo CC

P

Polaridade do elo (“\(+\)” para polo positivo, “\(-\)” para polo negativo) associada à variável de elo CC. Este campo é usado apenas pelas variáveis com tipo IBAL

Os seguintes identificadores devem ser utilizados para selecionar variáveis relativas aos elos CC:

IBAL

Sinal de saída do balanceador de corrente do elo, em pu.

Plotagem de Compensadores Estáticos

A régua para a plotagem de variáveis relativas aos compensadores estáticos de reativos requer o preenchimento dos seguintes campos (código DPLT):

El

Número de identificação da barra CA associada ao compensador estático

Gp

Número de identificação do grupo do equipamento associado à variável de plotagem

Os seguintes identificadores devem ser utilizados para selecionar variáveis relativas aos compensadores estáticos de reativos:

QCES

Potência reativa do compensador estático, em Mvar. Este valor é corrigido considerando o transformador para o modelo T de CER.

BCES

Susceptância do compensador estático, em pu. Este valor é corrigido considerando o transformador para o modelo T de CER.

ICES

Corrente no compensador estático, em pu. Assumirá valor positivo se for capacitiva e negativo se for indutiva.

VCES

Tensão na barra controlada do compensador estático, em pu.

VSAC

Sinal estabilizador aplicado no compensador estático, em pu.

Nota

Para maiores informações a respeito dos modelos de compensadores estáticos disponíveis no Anatem, consultar seção Modelos de Compensadores Estáticos.

Plotagem de Compensadores Série Controláveis

A régua para a plotagem de variáveis relativas aos compensadores série controláveis requer o preenchimento dos seguintes campos (código DPLT):

El

Número de identificação da extremidade DE do compensador série controlável

Pa

Número de identificação da extremidade PARA do compensador série controlável

Nc

Número de identificação do circuito do compensador série controlável (default = 1)

Os seguintes identificadores devem ser utilizados para selecionar variáveis relativas aos compensadores estáticos de reativos:

XCSC

Reatância equivalente do compensador série controlável, em %.

BCSC

Susceptância equivalente do compensador série controlável, em pu .

ICSC

Módulo da corrente do compensador série controlável, em pu.

VSCS

Sinal estabilizador aplicado no compensador série controlável, em pu.

Nota

Para maiores informações a respeito dos modelos de compensadores série controláveis disponíveis no Anatem, consultar seção Modelos de Compensadores Série Controláveis.

Plotagem de FACTS VSI

A régua para a plotagem de variáveis relativas aos equipamentos FACTS VSI requer o preenchimento dos seguintes campos:

El

Número de identificação do equipamento/conversor FACT VSI

Nota

Na presente versão os sinais IRVSI, IIVSI, SVSI, PVSI e QVSI, quando relativos a conversores VSI série, só estão disponíveis para a extremidade DE. Esta extremidade é a barra DE do circuito (TCSC) que foi substituído pelo conversor VSI série, conforme definida no Anarede e não no código DVSI. Caso se deseje o sinal na outra extremidade, o circuito deverá ser definido em sentido contrário.

O sentido positivo da tensão interna no lado CA do conversor VSI é considerado contrário ao da orientação DE PARA do ramo do conversor VSI.

O seguinte identificador deve ser utilizado para selecionar a variável relativa aos equipamentos FACTS VSI:

FMVSI

Fator de modulação mck do conversor VSI (adimensional).

PHSVSI

Fase \(\psi_k\) da tensão interna no lado CA do conversor VSI, em radianos, relativa à referência do sistema CA.

ETMVSI

Módulo tensão interna no lado CA do conversor VSI, em pu.

ETRVSI

Componente real da tensão interna no lado CA do conversor VSI, em pu.

ETIVSI

Componente imaginária da tensão interna no lado CA do conversor VSI, em pu.

IMVSI

Módulo da corrente CA do conversor VSI, em pu.

IRVSI

Componente real da corrente do lado CA do conversor VSI, entrando pela barra DE do conversor, em pu.

IIVSI

Componente imaginária da corrente do lado CA do conversor VSI, entrando pela barra DE do conversor, em pu.

SVSI

Potência aparente no lado CA do conversor VSI, entrando pela barra DE do conversor, em pu.

PVSI

Potência ativa no lado CA do conversor VSI, entrando pela barra DE do conversor, em pu.

QVSI

Potência reativa no lado CA do conversor VSI, entrando pela barra DE do conversor, em pu.

ICCVSI

Corrente no lado CC do conversor VSI, em pu.

PCCVSI

Potência no lado CC do conversor VSI, em pu.

Plotagem de CDUs

A régua para a plotagem de variáveis relativas aos CDU’s requer o preenchimento dos seguintes campos (código DPLT):

El

Número de identificação do CDU.

Bl

Número de identificação do bloco do CDU cuja variável (de saída ou de estado) associada será plotada. Este campo é usado apenas pelas variáveis com tipo CDU ou CDUE. Se for preenchido com “*”, o Anatem criará um arquivo de plotagem por CDU desejado.

O seguintes identificadores devem ser utilizados para selecionar variáveis relativas aos CDU’s:

CDU

Variável de saída do bloco.

CDUE

Variável de estado do bloco (para bloco POL(S) todas as variáveis de estado são selecionadas ao mesmo tempo).

Opções de execução disponíveis

Cuidado

Quando utilizada a opção de controle de execução IERR, o caso será executado, porém as referidas variáveis serão ignoradas. Se usada com este código de execução, faz com que as seguintes mensagens de erro sejam transformadas em mensagens de erro ignorado:

  • Variável de plotagem não encontrada

Exemplo

Listagem 197 Exemplo da aplicação do código DPLT
 1
 2
 3
 4
 5
 6
 7
 8
 9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
32
33
34
35
36
37
38
39
40
41
42
43
(===============================================================================
( DADOS DAS VARIÁVEIS DE SAIDA PARA PLOTAGEM
(===============================================================================
DPLT
(
( ângulos de grupos de maquina com referencia ao grupo 10 de maquina na barra 1
(Tipo)M( El ) ( Pa) Nc Gp ( Br) Gr ( Ex) (Bl) P
DELT        2          10     1 10
DELT        3          10     1 10
(
( ângulos de grupos de maquina com referencia ao centro de massa do sistema
(Tipo)M( El ) ( Pa) Nc Gp ( Br) Gr ( Ex) (Bl) P
DELT        8          10
DELT       12          10
(
( ângulos de grupos de maquina com relação à ref. síncrona do sistema
( cujo angulo e' 0 em t=0
(Tipo)M( El ) ( Pa) Nc Gp ( Br) Gr ( Ex) (Bl) P
DELT        8                 0
DELT       12                 0
(
( potencia ativa do grupo 10 de maquina síncrona da barra 8
(Tipo)M( El ) ( Pa) Nc Gp ( Br) Gr ( Ex) (Bl) P
PELE        8          10
(
( tensão de campo no grupo 10 de maquina síncrona da barra 8
(Tipo)M( El ) ( Pa) Nc Gp ( Br) Gr ( Ex) (Bl) P
EFD         8          10
(
( tensão da barra CA 8
(Tipo)M( El ) ( Pa) Nc Gp ( Br) Gr ( Ex) (Bl) P
VOLT        8
(
( variável de CDU - saida do bloco 10 do CDU 11
(Tipo)M( El ) ( Pa) Nc Gp ( Br) Gr ( Ex) (Bl) P
CDU        11                              10
(
( Fluxos ativo e reativos líquidos de intercambio da area 1
(Tipo)M( El ) ( Pa) Nc Gp ( Br) Gr ( Ex) (Bl) P
FLXAA       1
FLXRA       1
(
999999