../../_images/elosCC1.png

Modelos Predefinidos de Conversor LCC

A definição de modelo built-in de conversor LCC consiste na representação de um retificador e inversor por meio do modelo 1 ou 3 (detalhados a seguir), utilizando o código código DMCV. Os modelos definidos no DMCV devem ser associados posteriormente ao retificador e ao inversor por meio do código DCNV.

As opções MD01 ou MD03 são utilizadas para ativação da leitura de dados dos respectivos tipos de modelo de conversor. Somente uma destas opções pode ser ativada em cada execução do código DMCV.

O preenchimento dos campos para definição dos modelos built-in de conversor é detalhado a seguir:

DMCV MD01

Os diagramas de blocos do Modelo 01 são detalhados na seção Diagramas do Modelo 01 de Controle de Conversor CA-CC.

A régua definição do modelo 01 exige o preenchimento dos seguintes parâmetros:

Primeira Régua:

Nm

Número de identificação do modelo de controle de conversor.

Vmn

Tensão mínima no conversor, em pu, para liberação da medição do sinal \(V_{rp}\) decorridos \(T_{del_1}\) segundos após o congelamento deste sinal.

Tvp

Constante de tempo do bloco de medição para a obtenção do sinal \(V_{rp}\) a partir da tensão CC de saída do conversor,em segundos.

Tx1

Taxa de redução da tensão no conversor, em pu de tensão/segundo, acima da qual o controle interpretará que houve uma falta no sistema CA e congelará o sinal de tensão \(V_{rp}\) usado para calcular a ordem de corrente em modo de controle de potência.

Td1

Período de tempo mínimo durante o qual o sinal \(V_{rp}\) ficará congelado, em segundos. O descongelamento depende do limite \(V_{dc_{min}}\).

Yal

Acréscimo de corrente do conversor que provocará aquecimento nas válvulas e equipamentos. Este valor deve ser dado como porcentagem da corrente nominal do conversor.

Tmx

Constante de tempo do integrador do controle do limite de sobrecarga de longa duração, em segundos.

Amx

Aquecimento máximo admissível nos equipamentos, em \({(pu de corrente CC)}^2 \times\) segundo.

Gmx

Ganho do limitador do controle de sobrecarga de longa duração, em 1/(pu de corrente CC \(times\) segundo). Se for deixado em branco o controle de sobrecarga é ignorado (variáveis YALIM, \(T_{max}\) e \(A_{max}\) sem efeito) e o limite de sobrecarga, fica constante e igual a \(ST_{max}\).

Stx

Acréscimo máximo de corrente de curta duração. Este valor deve ser dado como % da corrente nominal do conversor.

F

Entre com a letra G se o inversor em controle de tensão for controlado por gama mínimo ou com a letra A ou branco se o controle for por área mínima de comutação. Para retificador este campo é ignorado.

Segunda Régua:

Nm

Número de identificação do modelo de controle de conversor definido no primeiro registro.

Tvd

Constante de tempo de descida do VDCOL (“Voltage Dependent Current Order Limiter”), em segundos.

Tvs

Constante de tempo de subida do VDCOL, em segundos.

Vdn

Tensão entre os terminais do conversor abaixo da qual a ordem de corrente do conversor não sofre mais redução pelo VDCOL, em %.

Vdx

Tensão entre os terminais do conversor abaixo da qual a ordem de corrente do conversor começa a sofrer redução pelo VDCOL, em %.

Frn

Fator de redução da ordem de corrente do conversor para tensões entre os terminais do con-versor abaixo de \(V_{dcl_{min}}\) (adimensional), em %.

Imn

Valor mínimo da ordem de corrente do conversor, em % da corrente nominal.

Imx

Valor máximo da ordem de corrente do conversor, em % da corrente nominal.

Img

Margem de corrente do conversor, em % da corrente nominal.

Ki

Ganho integral do controlador de corrente, em graus/(pu de corrente CC \(\times\) segundo).

Kp

Ganho proporcional do controlador de corrente,em graus/(pu de corrente CC).

To

Constante de tempo do bloco correspondente ao VCO (“Voltage Controlled Oscillator”) realimentado, em segundos.

Kcg

Ganho do CEC (“Current Error Control”), em graus/(pu de corrente CC).

DMCV MD03

Os diagramas de blocos do Modelo 03 são detalhados na seção Diagramas do Modelo 03 de Controle de Conversor CA-CC.

A régua definição do modelo 03 exige o preenchimento dos seguintes parâmetros:

Primeira Régua:

No

Número de identificação do modelo de controle de conversor.

Vmn

Tensão mínima no conversor, em pu, para liberação da medição do sinal \(V_{rp}\) decorridos \(T_{del_1}\) segundos após o congelamento deste sinal.

Tvp

Constante de tempo do bloco de medição para a obtenção do sinal \(V_{rp}\) a partir da tensão CC de saída do conversor,em segundos.

Tx1

Taxa de redução da tensão no conversor, em pu de tensão/segundo, acima da qual o controle interpretará que houve uma falta no sistema CA e congelará o sinal de tensão \(V_{rp}\) usado para calcular a ordem de corrente em modo de controle de potência.

Td1

Período de tempo mínimo durante o qual o sinal \(V_{rp}\) ficará congelado, em segundos. O descongelamento depende do limite \(V_{dc_{min}}\).

Yal

Acréscimo de corrente do conversor que provocará aquecimento nas válvulas e equipamentos. Este valor deve ser dado como % da corrente nominal do conversor.

Tmx

Constante de tempo do integrador do controle do limite de sobrecarga de longa duração, em segundos.

Amx

Aquecimento máximo admissível nos equipamentos, em \({(pu de corrente CC)}^2 \times\) segundo.

Gmx

Ganho do limitador do controle de sobrecarga de longa duração, em 1/(pu de corrente CC \(\times\) segundo). Se for deixado em branco o controle de sobrecarga é ignorado (variáveis YALIM, \(T_{max}\) e \(A_{max}\) sem efeito) e o limite de sobrecarga fica constante e igual a \(ST_{max}\).

Stx

Acréscimo máximo de corrente de curta duração. Este valor deve ser dado como % da corrente nominal do conversor.

F

Entre com a letra G se o inversor em controle de tensão for controlado por gama mínimo ou com a letra A ou branco se o controle for por área mínima de comutação. Para retificador este campo é ignorado.

Tfv

Constante de tempo, em segundos, para a medição da tensão CA do primário do transformador conversor, a ser usada no cálculo de \(\alpha\) máximo para o inversor. Caso este campo seja deixado em branco esta constante de tempo será ignorada, ou seja, a medição de tensão será instantânea.

Segunda Régua:

No

Número de identificação do modelo de controle de conversor definido no primeiro registro.

Tvd

Constante de tempo de descida do VDCOL (” Voltage Dependent Current Order Limiter “), em segundos.

Tvs

Constante de tempo de subida do VDCOL, em segundos.

Vdn

Tensão entre os terminais do conversor abaixo da qual a ordem de corrente do conversor não sofre mais redução pelo VDCOL, em %.

Vdx

Tensão entre os terminais do conversor abaixo da qual a ordem de corrente do conversor começa a sofrer redução pelo VDCOL, em %.

Frn

Fator de redução da ordem de corrente do conversor para tensões entre os terminais do con-versor abaixo de \(V_{dcl_{min}}\) (adimensional), em %.

Imn

Valor mínimo da ordem de corrente do conversor, em % da corrente nominal.

Imx

Valor máximo da ordem de corrente do conversor, em % da corrente nominal.

Img

Margem de corrente do conversor, em % da corrente nominal.

Ki

Ganho integral do controlador de corrente,em graus/(pu de corrente CC \(\times\) segundo).

Kp

Ganho proporcional do controlador de corrente,em graus/(pu de corrente CC).

To

Constante de tempo do bloco correspondente ao VCO (” Voltage Controlled Oscillator “) realimentado, em segundos.

Kcg

Ganho do CEC (” Current Error Control “) para controle de \(\gamma\): constante, em graus/(pu de corrente CC).

Kca

Ganho do CEC (” Current Error Control “) para controle de área constante, em graus \(\times\) (pu de tensão CA)/(pu de corrente CC).

Terceira Régua:

No

Número de identificação do modelo de controle de conversor definido no primeiro registro.

Tri

Constante de tempo do bloco de filtragem do sinal de erro para RIAC, em segundos.

Lri

Valor de referência do erro filtrado de corrente acima do qual há atuação do RIAC, em % da corrente nominal do conversor.

Tof1

Tempo durante o qual o sinal de saída do RIAC será mantido no valor \(ARIAC_{max}\) após violação do limite REFRIAC em segundos.

Tof2

Tempo durante o qual o RIAC fica bloqueado para novas atuações, em segundos.

Ari

Valor de \(\alpha\) mínimo ordenado pelo RIAC quando em atuação.

Laml

Valor de tensão CA no barramento do conversor abaixo do qual o RAML começa seu ciclo de atuação, em % do valor da tensão CA em \(t=0\).

Ton1

Período durante o qual a tensão CA deve ficar abaixo do limite REFAML para que o sinal \(\alpha_{aml1}\) vá para o valor \(ARAML1_{max}\), em segundos.

Ton2

Atraso adicional para que o sinal \(\alpha_{aml2}\) vá para o valor \(ARAML2_{max}\), em segundos.

Tof3

Período durante o qual a tensão CA deve se manter acima do limite REFAML para que o RAML inicie processo de desligamento, em segundos.

Saml

Inclinação para redução do sinal \(alpha_{aml1}\) até \(0\deg\), em graus/milissegundos.

Aml1

Valor de \(\alpha\) mínimo ordenado para o sinal \(\alpha_{aml1}\) pelo RAML quando em atuação, em graus.

Aml2

Valor de \(\alpha\) mínimo ordenado para o sinal \(\alpha_{aml2}\) pelo RAML quando em atuação, em graus.

Tcf

Constante de tempo da proteção de falha de comutação, em segundos. Se igual a \(0\) a proteção de falha de comutação não é ativada.

Quarta Régua:

No

Número de identificação do modelo de controle de conversor definido no primeiro registro.

VDmn

Nível mínimo da tensão que divide a ordem de potência, em \(pu\).

Thdm

Tempo do ciclo de cálculo da ordem de potência, em segundos.

Tvdn

Constante de tempo da normalização do VDCOL, em segundos.

Telc

Constante de tempo do filtro que simula o atraso de telecomunicação, em segundos.

L

Indica se o limitador de derivada de \(\alpha\) está ativado (S) ou não (N). Se for deixado em branco, será considerado o valor N.

ote:: A corrente nominal do conversor citada nos campos YALIM, I0MIN, I0MAX e IMARG é fornecida no Anarede.