../../_images/carga1.png

Carga Estática

O comportamento das cargas estáticas é descrito pelas seguintes equações:

\[ \begin{align}\begin{aligned}\begin{split}\text{Carga ativa} = \left\{\begin{array}{ll} \left[ (100-A-B) + A \left(\frac{V}{V_0}\right) + B\left(\frac{V}{V_0}\right)^2 \right] \cdot \frac{P}{100} & \text{ se } V\ge V_\text{mn}\\[0.3cm] \left[ (100-A-B)\left(\frac{V}{V_\text{mn}}\right)^2 + A \left(\frac{V}{V_0}\right)\left(\frac{V}{V_\text{mn}}\right) + B\left(\frac{V}{V_0}\right)^2 \right] \cdot \frac{P}{100} & \text{ se } V < V_\text{mn} \end{array} \right.\end{split}\\\begin{split}\text{Carga reativa} = \left\{\begin{array}{ll} \left[ (100-C-D) + C \left(\frac{V}{V_0}\right) + D \left(\frac{V}{V_0}\right)^2 \right] \cdot \frac{P}{100} & \text{ se } V\ge V_\text{mn}\\[0.3cm] \left[ (100-C-D)\left(\frac{V}{V_\text{mn}}\right)^2 + C \left(\frac{V}{V_0}\right)\left(\frac{V}{V_\text{mn}}\right) + D \left(\frac{V}{V_0}\right)^2 \right] \cdot \frac{P}{100} & \text{ se } V < V_\text{mn} \end{array} \right.\end{split}\end{aligned}\end{align} \]

sendo:

A, B e C, D são parâmetros que definem as parcelas de carga representadas por corrente e impedância constantes, respectivamente.

P e Q são as potências ativa e reativa da carga para a tensão \(V_0\) .

\(V_0\) tensão inicial da barra, convergida pelo fluxo de potência

\(V_\text{mn}\) tensão abaixo da qual a carga passa a ser modelada como impedância constante

No instante inicial (\(t=0\)), as cargas definidas no programa de fluxo de potência são automaticamente convertidas para impedância constante (\(A=C=0\) e \(B=D=100\)). O modelo de carga (parâmetros A, B, C, D e \(V_\text{mn}\)) pode posteriormente ser alterado em qualquer instante de tempo da simulação através do código DCAR. Deve-se observar que se a mudança dos parâmetros for feita com tensão na carga diferente de \(V_0\) ocorrerá uma descontinuidade de potência.

Mudanças no valor da carga (P e Q) podem ser feitas pelo usuário através do código DEVT ou automaticamente por relés de subfrequência e subtensão (código DREL), por esquema regional de alívio de carga (código DERA) ou por modificação automática de cenário de carga/geração (código DCEN).