../_images/cdu.png

Controladores Definidos pelo Usuário

Os Controladores Definidos pelo Usuário (CDUs) permitem ao usuário representar as malhas de controle para as unidades de geração e modelos de equipamentos de forma personalizada, em adição aos modelos predefinidos (built-in) disponíveis no Anatem, através do código DCDU, sendo os modelos associados aos respectivos equipamentos feita a partir de códigos de execução específicos em cada caso. Na presente versão um modelo de controle via CDU pode ser utilizado por mais de um equipamento por meio do uso da Topologia de CDUs (códigos DTDU e ACDU).

O modelo definido pelo usuário pode ser linear ou não. Sua representação é feita no domínio da frequência através de diagrama de blocos, usualmente utilizado na engenharia de sistemas de controle.

Atenção

As regras básicas para construção e utilização de um CDU são:

  • As entidades básicas de um CDU são variáveis e blocos, que podem ser entradas, saídas ou limites de bloco.

  • Toda variável que não é limite de bloco deve necessariamente ser entrada de um bloco e saída de outro bloco. Variáveis que são limites fixos de bloco são as únicas que não são saída de nenhum bloco.

  • Todo bloco com limite deverá ter os dois limites definidos.

  • Os dados dos blocos podem ser fornecidos diretamente nos campos P1, P2, P3 e P4 (ver código DCDU) como números ou como parâmetros. Os valores dos parâmetros são especificados através de instruções DEFPAR.

  • O valor inicial de uma variável pode ser especificado por uma definição de valor (DEFVAL).

  • Blocos dinâmicos (Bloco PROINT, Bloco WSHOUT, Bloco LEDLAG, Bloco POL(S), etc. ) possuem variáveis de estado internas não acessíveis ao usuário (a não ser para plotagem).

  • Alguns blocos (como DISMIN, DLAYON e outros) possuem variáveis de estado internas, mas não acessíveis para plotagem. Geralmente, essas variáveis representam algum contador interno ou valor histórico de entrada.

  • As conexões dos CDUs com os outros modelos são feitas através dos blocos Bloco IMPORT e Bloco EXPORT.

  • No modo ANAC (execução de simulação em controles de forma independente) todos os CDUs lidos serão resolvidos.

  • No modo ANAT (execução de caso de estabilidade), um CDU só é resolvido se estiver associado a um equipamento.

Dica

Uma boa prática de trabalho para a elaboração de CDUs é construir os diagramas de blocos através do programa CDUEdit e, em seguida, exportá-los como arquivos com extensão .cdu. No arquivo criado, recomenda-se substituir o código DCDU pelo código DTDU, de modo a declarar as malhas de controle como topologias e assim associá-las à múltiplos equipamentos do sistema através do código ACDU. O código DARQ permite incluir o arquivo com extensão .cdu e, com efeito, os CDUs criados, na simulação sem que seja necessário escrevê-los no arquivo principal com extensão .stb.

Ver também

Consulte a entrada Considerações para uma boa Modelagem para orientações válidas também para controladores CDU.

Códigos Relacionados

Definição de CDUs: DCDU DTDU

Associação de CDUs: ACDU

Associação de Conversores VSI: DAVS

Associação de Controle Automático de Geração: DCAG

Associação de Controle Centralizado de Tensão: DCCT

Associação de Compensadores Estáticos: DCER

Associação de Controladores Não Específicos: DCNE

Associação de Conversores CA-CC: DCNV

Associação de Compensadores Série: DCSC

Associação de Máquinas de Indução com Dupla Alimentação: DDFM

Associação de Elos CC: DELO

Associação de Fontes Shunt Controladas: DFNT

Associação de Geradores Eólicos Síncronos: DGSE

Associação de Cargas Dinâmicas: DLDN

Associação de OLTCs: DLTC

Associação de Máquinas Síncronas: DMAQ

Associação de Máquinas de Indução: DMOT